Emagrecer com saúde

By 26 de março de 2011 Emagrecimento 34 Comments

Cartilha do Emagrecimento Saudável

(Por Dr. Ícaro Alves Alcântara – www.icaro.med.br)

Boa parte dos atendimentos que faço em consultório tem como objetivo principal ou secundário “emagrecer”: o paciente procura-me para perder peso ou, quando o faz por múltiplas queixas, esta é uma das mais frisadas. No meu site (www.icaro.med.br), as seções mais acessadas são aquelas que direta ou indiretamente falam de emagrecimento e no Twitter (@qualidade_vida) o assunto é importante motivador de questionamentos e encaminhamentos (“retweets”) de mensagens. Enfim, depois de constatar tudo isso (após o sucesso da Cartilha do Concurseiro) e ser cobrado quanto a produzir artigo com orientações mais práticas e objetivas para perder peso de forma efetiva e saudável, resolvi escrever este, esperando que possa ajudar a clarear um pouco as coisas no assunto.

Entretanto, vale ressaltar que ainda que o conteúdo desta cartilha esteja embasado tanto em estudos científicos quanto na experiência em consultório, não é verdade absoluta, aplicável exatamente como apresentada a 100% dos casos. Cada paciente tem suas particularidades e por isso deve ser consultado e acompanhado por médico (e nutricionista ou outros profissionais de saúde, quando indicados) após avaliação inicial presencial e detalhada, com a realização dos exames e procedimentos que fizerem-se necessários. Em outras palavras, em alguns casos, seguir o que está aqui orientado não substitui a necessidade de consulta médica e acompanhamento por profissional competente.

EMAGRECIMENTO COMUM

Nos dias atuais o que mais acontece é mais ou menos o seguinte:

Quem quer emagrecer procura um médico, com objetivo específico de conseguir receita de medicamento (habitualmente “controlado”) para emagrecer (por via oral ou injetável, associando ou não a outros “tratamentos estéticos), desejando que este não só promova grande perda de peso mas que esta também seja rápida;

O paciente até recebe orientações quanto à importância de ter hábitos de vida saudáveis mas sem muito ênfase, motivo pelo qual não os adota, ainda que tome o remédio conforme orientado;

São sentidos efeitos colaterais (ansiedade, palpitações, alguma insônia, dor de cabeça, perturbações intestinais, etc) mas o paciente julga serem estes aceitáveis e “normais do medicamento”;

Até ocorre perda de peso, na maioria das vezes diferente da desejada e este peso começa a voltar assim que o uso do remédio para emagrecer é interrompido;

Pouco tempo sem o remédio e o paciente está novamente “fora do peso”, muitas vezes até com mais gordura que antes, decidindo assim reiniciar o ciclo;

Após emagrecer-e-engordar várias vezes o paciente desiste de usar o remédio, seja por desenvolver doenças, seja por não mais tolerar os efeitos colaterais ou mesmo por ver que o tratamento, simplesmente, “não funciona” (neste ponto muitos buscam remédios cada vez mais fortes, no fim terminando esta busca da mesma forma: frustrados e “doentes”).

O QUE ESTÁ ERRADO?

Esta receita para emagrecer apresenta tantos erros que apontá-los todos resultaria em um verdadeiro livro sobre o que NÃO fazer para perder peso com saúde mas tentarei me ater brevemente aos aspectos mais importantes:

Ninguém compra um carro sem pesquisar muito antes: avaliar bem as opções disponíveis, suas necessidades, condições de pagamento e detalhes em geral, não é? Se deixar de fazer isso, tem grandes chances de arrepender-se no futuro e adquirir um veículo que não vá atendê-lo como gostaria. Analogamente, o paciente que dispõe-se a tomar um medicamento sem que seja ouvido atentamente, examinado (sempre que necessário), submetido a exames complementares e orientado de forma completa, corre sério risco de receber prescrição de substância inadequada, que ou não irá funcionar ou irá causar-lhe efeitos indesejáveis.

Tentar emagrecer sem primeiramente adotar hábitos de vida mais saudáveis é tão impossível quanto esvaziar uma pia com a torneira bem aberta: água está saindo pelo ralo mas continua entrando pela torneira; você pode usar os mais eficazes medicamentos e submeter-se aos melhores e mais inovadores tratamentos para emagrecer mas se ao mesmo tempo seus hábitos de vida lentificam seu metabolismo e fazem seu corpo acumular gordura e perder músculos, o resultado final é que você não emagrece de verdade.

Não há nada de normal em aparecerem efeitos colaterais intoleráveis quando se usa um medicamento para perder peso; se isto ocorre, algo está errado e precisa ser alterado: ou o medicamento não serve para você, ou a dosagem/posologia está inadequada ou você tem distúrbios (mesmo que ainda não identificados) que precisam ser tratados.

O óbvio: se o peso começa a aumentar novamente assim que um medicamento/tratamento para emagrecer é suspenso, isto é sinal claro que a causa do seu acúmulo de gordura não foi resolvida; ou seja, enquanto você não tratá-la, continuará com cada vez mais peso. E o chamado “efeito sanfona” realmente existe: quanto mais um paciente engorda-e-emagrece sucessivamente, mais difícil fica perder peso, tendo-se em vista a resistência crescente do tecido gorduroso no corpo.

Alguns dos medicamentos “controlados” para emagrecimento preferidos “estressam” o organismo, provocam rápido e excessivo consumo dos seus nutrientes básicos e fazem-no desenvolver “tolerância” a eles (o organismo começa a precisar de doses cada vez mais altas e, na ausência do medicamento, não funciona direito, produzindo sintomas).

Perder peso NÃO significa necessariamente perder gordura: a balança aponta o peso total do corpo que é basicamente composto por água, músculos, ossos e gordura. Muitos medicamentos, quando mal prescritos, provocam rápida perda de água e músculos, o que dá a falsa impressão para o leigo de estar perdendo gordura por estar perdendo peso.

A perda excessiva de água e músculos SEMPRE vem acompanhada da perda de importantes vitaminas e minerais, o que enfraquece o organismo como um todo, causando muitos sinais e sintomas a exemplo de: baixa imunidade, distúrbios psicológicos, fraqueza, tontura, cefaléia, etc.

DICAS PARA EMAGRECER COM SAÚDE

Ninguém consegue atingir o peso ideal e mantê-lo, COM SAÚDE, sem o mínimo de disciplina e planejamento/organização; aliás, estas duas qualidades são fundamentais para atingir qualquer objetivo na vida; o problema é que a maioria dos pacientes coloca sua própria saúde em segundo plano de importância, facilitando desistência ante às dificuldades. Sabe aquele ou aquela modelo cujo corpo você “inveja” e gostaria muito de ter? Tenha certeza que ele(a) segue algumas regras básicas para conseguir manter a aparência, onde os excessos são exceções, ocasionais (caso contrário, dependerá do uso constante de substâncias, cujo uso crônico e abusivo não tardará a causar doenças).

Algumas pessoas demoram para perceber que não existem “pílulas mágicas” ou “tratamentos miraculosos” em saúde… Mas para os que já entenderam isto e estão dispostos a perder peso às custas de eliminar realmente os depósitos de gordura do corpo, seguem as principais orientações que funcionam na prática:

O excesso de gordura corporal está relacionado ao aparecimento e manutenção de MUITAS doenças. Assim sendo, mais que questão estética, perder o excesso de gordura é fundamental para ter e manter saúde. São cada vez mais freqüentes os relatos de pacientes que deixaram de sentir vários sintomas simplesmente por terem perdido peso de forma saudável.

Para que a gordura corporal seja gasta ou eliminada pelo corpo, ela precisa circular direito, ou seja, ser transportada pelo sangue e a maior parte do sangue é água. Por isso, sempre tome bastante água por dia (pelo menos 3 litros bem distribuídos ao longo do dia).

O exercício físico regular é fundamental porque tem tripla função no processo de emagrecimento:

Acelera o metabolismo e gasto energético, forçando a queima de gordura para gerar energia (a energia que “sobra” dos alimentos, normalmente é armazenada sob a forma de gordura)

Propicia o aumento da massa muscular que, mesmo no repouso, gasta energia para sobreviver e atuar (por isso é verdade que quanto mais músculos, normalmente, menos gordura)

Melhora a circulação do sangue

Não existe emagrecimento efetivo e saudável sem bom funcionamento intestinal, uma vez que é o intestino quem controla o que “entra” no corpo através da alimentação e boa parte do que é eliminado: basta lembrar que todo medicamento/suplemento ingerido é absorvido pelo intestino e só depois disto cai na corrente sangüínea para agir. Isto significa que um intestino funcionando mal pode não absorver direito medicamentos, reduzindo assim seu efeito. A dica aqui é sempre ingerir pelo menos 30g de fibras/dia (folhas, cereais, frutas, sementes, vegetais, etc), distribuídas entre as várias refeições do dia e muita água.

O organismo humano foi programado geneticamente para receber alimentos no máximo a cada 3 horas. Por isso, quem passa mais de 3 h sem comer durante o dia está “forçando” seu cérebro a mandar que o corpo estoque o máximo de energia que der, a cada nova refeição. Em outras palavras, “pular” refeições faz com que o corpo transforme o máximo possível das outras refeições em gordura; por isso quem come poucas vezes por dia tende a comer mais e em maior quantidade, aumentando cada vez mais seus estoques de gordura.

A falta de sono e o stress prejudicam a liberação da leptina, que é um hormônio que informa ao cérebro a “hora de parar de comer” (saciedade). Resultado: quem não dorme direito (também com qualidade) e quem é estressado tende a sentir o apetite aumentado durante seu período acordado

Nem todo medicamento para emagrecer tem que ser necessariamente estimulante, causando taquicardias, palpitações, elevação de pressão sangüínea, insônia, ansiedade, etc. O que mais funciona para ter e manter o peso ideal é cultivar sempre hábitos saudáveis de vida (vide apresentação “Viver: o que é necessário” no meu site) mas hoje em dia há excelentes medicamentos para auxiliar nos processos de emagrecimento saudável que agem mais naturalmente sem o efeito “estimulante” excessivo: na moderação do apetite, na queima de gordura para gerar calor (termogênese), na redução das calorias dos alimentos ingeridos, no estímulo à utilização preferencial de gordura pelo corpo para geração de energia, na facilitação da eliminação da gordura, etc.

Procure ter apoio de médico experiente no seu processo de emagrecimento, preferencialmente através de avaliação completa e atenta (com obtenção de história clínica detalhada), realização dos exames complementares necessários e acompanhamento periódico dos detalhes e resultados do tratamento. Os melhores profissionais não são necessariamente os que só prescrevem “novidades” mas com certeza estão entre aqueles que sabem ouvir o paciente com real interesse e tempo para isto, atentando para os detalhes do quadro clínico de cada um; é nos detalhes individuais que reside o sucesso ou fracasso de boa parte dos tratamentos, o que consultas curtas demais decerto não permitem obter.

O apoio de nutricionistas, professores de educação física e demais profissionais de saúde competentes tem se mostrado importante aliado dos tratamentos com fins de emagrecimento: afinal, cada um entende melhor da sua área específica de estudo e atuação.

Se durante o tratamento (seja ele via medicamentos ou via tratamentos estéticos ou ambos) você sentir sintomas indesejáveis, comunique seu médico; alguns deles podem motivar alterações na forma de usar, dosagem ou mesmo substituição do próprio remédio. Para outros sintomas, a associação de outros medicamentos ou suplementos pode ser benéfica e mesmo necessária (por exemplo, todo processo de emagrecimento gera excesso de radicais livres, aumentando o estresse oxidativo, para o que a administração conjunta de antioxidantes costuma ser bastante vantajosa para o paciente).

Procure estabelecer metas atingíveis: não são raros os casos de pacientes que querem atingir peso e constituição corpórea que seu biótipo simplesmente não permite. E algumas clínicas e profissionais vão fazer o possível para fazê-lo acreditar que está fora do seu corpo e peso ideais… Mesmo que você não esteja. Lembre-se sempre que a busca pela estética nunca deve comprometer a promoção e manutenção de saúde.

Os tratamentos estéticos e medicamentos para perda de gordura são basicamente de 3 tipos: os que reduzem a formação de depósitos de gordura pelo seu corpo, os que promovem o aumento do gasto da gordura armazenada e os que facilitam a eliminação de gordura. E são inúmeras as substâncias que podem ter um ou mais destes efeitos, com milhares de combinações possíveis, sempre na dependência de cada caso, individualmente. Para enumerar apenas algumas destas, de eficácia comprovada: ácido lipóico, ashwaganda, cafeína, caraluma fimbriata, carnitina, cassiolamina, centella asiática, chá verde, citrus aurantium, coenzima Q10, creatina, faseolamina, garcínia, ginseng, gymnena silvestre, irvingia gambonensis, HMB, koubo, pantetina, pholia magra, resveratrol, sesamina, slendesta, tribulus terrestris, ubiquinol. É claro, devem ser prescritas somente pelo médico que saiba como utilizá-las e associá-las, quando necessário.

Em resumo, perder peso de forma saudável é perfeitamente possível e mesmo fácil (depende sobretudo de um pouco de disciplina) mas pressupõe “queimar gordura” com manutenção ou aumento da massa muscular, o que só é possível através da prática diária de hábitos de vida saudáveis: para quem faz isto, os tratamentos estéticos e medicamentos/suplementos para emagrecer, quando bem indicados por profissional médico competente, entram como eficazes “aceleradores” e “melhoradores” do processo.

Mas para quem após toda esta leitura continua achando que não precisa mudar nada na sua vida e que os medicamentos e tratamentos “fazem o milagre” do emagrecimento sozinhos, um conselho: que mantenham uma GORDA conta corrente, capaz de arcar com todos os custos dos tratamentos e suplementos por toda a vida e, depois de algum tempo, com os remédios para as tantas doenças que decerto, infelizmente, desenvolverão.

A escolha é sua. Faça a sua parte e boa escolha!

Dr. Ícaro Alves Alcântara

Médico

Comments

34 Comments

  • dr.icaro disse:

    Boa tarde, Cleyce

    Para sua segurança, somente após avaliação presencial é que o profissional pode dizer se você pode ou não submeter-se a tratamento com mesoterapia. Isto porque uma série de fatores influencia neste julgamento, como seus hábitos de vida, doenças de base, exames complementares, medicamentos em uso, composição da mescla, etc.

  • dr.icaro disse:

    Olá Karla

    Não posso falar por todos os demais “doutores” por aí mas EU acredito no trabalho em equipe e “cada macaco no seu galho”. Por isso, tenho por hábito encaminhar meus pacientes que precisam de orientação nutricional para os nutricionistas, apoio psicológico para os psicólogos e assim por diante.

    Obrigado pela participação!

  • dr.icaro disse:

    Olá Elizmeire

    Obrigado pelos comentários! Fico feliz em ajudar e realmente acredito que informação, sobretudo em saúde, DEVE ser compartilhada, principalmente quando pode beneficiar a todos – Em outras palavras, igo esta filosofia até por acreditar que se tudo é de Deus, não é de direito de nenhum homem guardar para si o que pode ajudar a coletividade; questão de humanidade e mesmo caráter, na minha opinião.

    Quanto à sua pergunta, leu minha seção de Perguntas e Respostas? Creio tê-la respondida lá recentemente…

    Se após ler, persistirem dúvidas, por favor me avise.

    Um abraço

    Ícaro

  • dr.icaro disse:

    Olá Luciana

    Isto depende de vários fatores, a exemplo de quais substâncias foram aplicadas, por quanto tempo, seu quadro clínico após o tratamento… Ou seja, uma avaliação por médico capacitado seria desejável.

    Um abraço

    Ícaro

  • dr.icaro disse:

    * IMPORTANTE *

    Lembro a todos que este artigo (Cartilha do Emagrecimento Saudável) foi complementado recentemente através do conteúdo deste link. Leiam! http://www.icaro.med.br/emagrecimento-%E2%80%93-esqueci-algo-na-cartilha/

    * IMPORTANTE *

  • alex disse:

    gostarie de saber qual o peso ideal para 174m

  • Solicito o especial favor de saber de posso fazer uson do remédio GLIGAGE , pois minha taxa de açucar no sangue é de 81.
    Grata, Efigênia.

  • maria angela disse:

    Olá .gostaria de saber se o glifage XR prescrito por minha endocrinologista devido à falta de sensibilidade a insulina pode me causar dependência e se necessariamente tem que ser por toda vida já quu todas as minha taxas de glicose etc estão normal.

    • dr.icaro disse:

      Olá Maria Ângela

      Desconheço qualquer potencial do Glifage de causar dependência psicológica ou química e sobre por quanto tempo tomar, isto é entre você e seu médico…

      Boa semana

      Ícaro

  • […] os textos sobre Qualidade de Vida, Emagrecimento e Hábitos Saudáveis de Vida: – A Base de Tudo – Emagrecimento com saúde – Hábidos Saudáveis de […]

  • Régis Rambo disse:

    Nobre Dr.,

    Embora não seja um “gordo” de carteirinha, estou bem além do peso. Embora não seja médico, sei que boa parte do meu peso se deve à alguns excessos alimentares e falta de exercícios.
    Há cerca de 3 anos eu corria diariamente e tinha uma pesagem bem próxima da ideal.
    Assim, embora já ciente de que meu peso é consequência do modo que tenho vivido, sua opinião médica foi sobremaneira importante e esclarecedora acerca do processo de emagrecimento/engorda, bem como é de interesse geral, com linguagem clara e sem meias palavras, jamais sonegando informação; Pelo contrário, expondo o que o público precisa saber acerca do assunto; Assim, lhe parabenizo! Necessitamos de figuras (médicas ou não), como você, que ajudam ao próximo, mesmo que este esteja conectado do outro lado do mundo, pela internet.

  • Edilene disse:

    Bom dia

    Dr.Icaro,

    Estou tomando por conta própria o Glifage XR 500.
    Fui informada por uma amiga que este medicamento não prejudica a saúde e ajuda na queima da gosdura abdominal. Tomo 30 min antes do almoço e 30 min antes do janta.
    Pratico atividade fisíca e 3 a 4 x por semana, fosso 40 min de esteira e 40 de alongamento de musculação leve. Estou controlando melhor minha alimentação e dando preferencia para os alimentos integrais. Bebo uns 3,5l de água por dia. tenho 1m65cm e estou com 72k. não consiguo perder isso. observo pelas roupas que perdi medida mais na balança não me mostra isso. O que devo fazer? Esse medicamento realmente ajuda a perder gordura abdominal? Aguardo resposta.

    Att,
    Edilene
    Macaé RJ

    • dr.icaro disse:

      Olá Edilene

      1 – Leia todo o material da seção “Emagrecimento Saudável” do meu site – deve ajudar

      2 – Balança mostra peso total, ou seja, quando há emagrecimento saudável há ganho de massa magra e isto pode afetar o peso total mas ainda assim o paciente estar perdendo gordura

      3 – Todo medicamento pode fazer mal se o paciente não tem indicação para ele… Recomendo cautela.

      4 – Sim o Glifage pode ajudar na perda de gordura mas recomendo que você tenha acompanhamento médico para tal

      Boa semana

      Ícaro

  • Amanda disse:

    Olá Dr. estou tomando Glifage recomendado pelo meu médico, pois minha glicose estava alta.
    Gostaria de saber se quando eu parar o remédio corro o risco de ter efeito sanfona? (já que vi que o mesmo é utilizado tbm para ajuda na perda de peso).
    Obrigada

  • dr.icaro disse:

    Olá Isac

    Como você bem colocou, associados a bons hábitos de vida podem SIM trazer benefícios mas são necessários cuidados como: seleção adequada dos métodos a serem utilizados, escolha dos profissionais que irão executá-los (conhecimentos e técnica), bons equipamentos, número de seções, cuidado com a possibilidade de reações individuais, suporte médico e etc.

    Um abraço

    Ícaro

  • dr.icaro disse:

    Olá Naira

    Agradeço pelas suas palavras, que decerto dão força para seguir em frente, no que julgo ser (ou pelo menos tentar sempre) um caminho de Bem, pelo bem do próximo; ocorre que em um mundo onde muitos fazem menos que deveriam, quem simplesmente faz sua parte pode ser visto como “excepcional” sem sequer o ser…

    Sobre seu caso, preliminarmente, assumindo-se que você tenha bons hábitos de vida e alimentação BALANCEADA, PARECE haver envolvimento de questões pertinentes a neurotransmissores e/ou hormônios, motivo pelo qual te sugeriria avaliação médica presencial e exames detalhados.

    Quanto ao vinagre de maçã, tem sido indicado para melhorar a sensibilidade à insulina, assim modulando para baixo a liberação desta quando das refeições. Quanto às cápsulas de urucum, não tenho experiência com elas (procurarei maiores dados).

    Um abraço!

    Ícaro

  • dr.icaro disse:

    Obrigado pelo comentário, SIlvana

    Isto depende basicamente de você:
    – Seguir a cartilha
    – Buscar, preferencialmente, bom acompanhamento nutricional
    – Fazer exames completos e tratar distúrbios

    Basicamente, é claro…

    Um abraço

    Ícaro

  • dr.icaro disse:

    O Glifage serve para melhorar a sensibilidade do seu organismo ao hormônio insulina e por vezes é, sim, mal utilizado, quando a causa do problema de peso for outra, por exemplo, distúrbio com outros hormônios.

    Um abraço!

    Ícaro

  • dr.icaro disse:

    Olá Ana

    Antes de mais nada, muito obrigado pelos elogios que decerto estimulam a continuar buscando o melhor trabalho possível em ajudar, em Saúde.

    Não sei como estão os seus exames MAS eu habitualmente (exceto em situações de urgência) prefiro dar chance para o organismo melhorar através de melhores hábitos de vida antes de pensar em medicamentos; e tem dado certo. Ou seja, a decisão é sua mas talvez você possa conversar com seu médico sobre primeiro tentar melhorar BEM seus hábitos e ver quão bons serão seus resultados assim, naturalmente.

    Um abraço

    Ícaro

  • dr.icaro disse:

    Olá Ingrid

    Agradeço muito pelas suas palavras, que tenha certeza que dão força e apoio para seguir em frente, sempre tentando ajudar, como objetivo PRIMÁRIO.

    Sobre sua dúvida, o Glifage serve para melhorar a sensibilidade do organismo à insulina, ou seja, por mais que você pareça ter problemas neste quesito, você precisa primeiro ter esta sensibilidade BEM avaliada.

    Na minha opinião, podem ser benéficos para você uma avaliação hormonal mais completa (ampliada), exames mais abrangentes, o tratamento das alterações detectadas e sem dúvida: hábitos de vida PREMIUM.

    Um abraço

    Ícaro

  • dr.icaro disse:

    Olá Nilcimar

    Desconheço esta possibilidade de Glifage XR ser capaz de CAUSAR diabetes… É uma medicação muito útil para melhorar a sensibilidade à insulina!

    Um abraço

    Ícaro

  • dr.icaro disse:

    Olá Anna

    Obrigado pelo comentário!

    Sobre fitoterápicos, usualmente ajudam SIM mas isto depende de cada caso, cada paciente, cada conjunto de sintomas e alterações nos exames e acima de tudo: dos hábitos de vida do paciente (ou seja, quão comprometido ele está com SEU próprio tramaneto e Saúde)!

    Abraço

    Ícaro

  • dr.icaro disse:

    Olá Daniele

    Se o medicamento foi prescrito por um médico endocrinologista que estudou bem o seu caso, deve fazer efeito SIM. Só questiono se você teve seus demais hormônios BEM avaliados, também… A metformina (Glifage) normalmente é bem tolerada mas para alguns pacientes causa algum desarranjo intestinal, com gases e cia.

    Um abraço

    Ícaro

  • dr.icaro disse:

    Ola Solange

    Nao é permitido a nenhum medico consultar pacientes pela internet, ou seja, sugiro que você faça esta perguntas para o medico que te acompanha. Na minha opinião, baseado no que você relatou, parece que não devem causar problemas de associados a bons hábitos de vida.

    Um abraço

    Icaro

  • dr.icaro disse:

    Olá Andréia

    Obrigado pelos comentários. Sobre suas dúvidas:

    1 – Muitos médicos usam o Glifage XR 500 como adjuvante em tratamentos para emagrecimento

    2 – Só “gordura no fígado” usualmente não “faz inchar” – Deve ser avaliado o quadro associado que pode estar levando a tudo isto

    Abraço

    Ícaro

  • dr.icaro disse:

    Olá Karina

    Acredito que isto vá tirar suas dúvidas, já que o Glifage XR é a metformina de liberação lenta, prescrita p/vc com possível objetivo de reduzir sua insulina circulante…
    http://www.sbemrj.org.br/ovarios_policisticos.html

    Abraço

    Ícaro

  • dr.icaro disse:

    Olá Renata

    Esta probabilidade realmente existe mas, em geral, só se a quantidade de gordura liberada for MUITO grande e sua circulação sangüínea for ruim e/ou hábitos de vida em geral ruins que permitam maior oxidação das gorduras circulantes (somente gorduras oxidadas depositam-se na parede dos vasos sangüíneos) e/ou você tiver alguma doença associada “descompensada”. Sobre o colesterol, tende a ficar alto após o tratamento e ir baixando gradativamente e a rotina de exames no pós-procedimento depende de cada profissional. A gordura liberada tende a ser consumida para produção de energia ou calor e/ou utilizada pelas células estruturalmente OU será depositada novamente pelo corpo…

    Abraço

    Ícaro

  • dr.icaro disse:

    Olá Taiani

    Já respondi acima, em outro questionamento parecido com o seu. Quanto a efeitos colaterais, os mais comuns são flatulência, perturbação do funcionamento intestinal e hipoglicemias.

    Abraço

    Ícaro

  • dr.icaro disse:

    Olá Kris

    Acredito que o uso do Glifage, quando bem indicado por um médico competente, não “desencadeie diabetes”.

    Abraço

    Ícaro

  • dr.icaro disse:

    Olá Marilia

    Duvido que você tenha que tomar “para o resto da vida” pelo que você relatou mas isto tem que ser visto com seu medico. Que eu saiba, não causa dependência e pode, sim, ajudar indiretamente a regular o ciclo.

    Um abraço

    Ícaro

Leave a Reply