E a Indústria do Gluten continua tentando “não perder” você como “fiel consumidor” (ou recupera-lo)

Olhe só esta “chamada” para você ler matéria, em site de notícias amplamente conhecido: “Dieta sem glúten favorece contaminação por arsênio e eleva risco de doenças” (em https://noticias.uol.com.br/ciencia/ultimas-noticias/redacao/2017/02/15/dieta-sem-gluten-favorece-contaminacao-por-arsenio-e-eleva-risco-de-doencas.htm)

Dá vontade de ler, não é? Mas olhe os problemas do título e da matéria “jornalística”:

– Dieta sem glúten SÓ favorece contaminação por arsênio, metal tóxico, se quem tira o glúten coloca no lugar um monte de arroz, em variadas formas (erro ainda comum, infelizmente, mas ficando menos frequente à medida que as pessoas informam-se com mais QUALIDADE). O ideal, portanto, é ter uma reeducação alimentar que reduza na dieta a quantidade de farinhas, carboidratos (açúcares), ou os malefícios não serão só do arroz mas sobretudo do excesso de açúcar (confira em: Icaro.med.br/?s=ACUCAR), o que é perfeitamente possível sobretudo com acompanhamento nutricional funcional COMPETENTE e que valorize a questão.

– A reportagem assume que quem tira o gluten come mais arroz (e derivados) e “necessariamente” aumenta o arsênio em seus corpos e por isso “necessariamente” eleva o risco de doenças: ou seja, um monte de especulações tendenciosas para levar quem lê o titulo (e boa parte do texto) a “concluir”, sem questionar por que, que não deve tirar o gluten ou vai adoecer; Piada de muito MAU GOSTO! – O texto tenta colocar “dieta sem glúten” como mero modismo… Não é! Gluten faz mal para a maioria das pessoas e reportagens assim muito parecem com esforços da indústria do Gluten para tentar “reabilitar” seu produto nocivo, não? Confira os males e convença-se de uma vez com as evidências: Icaro.med.br/?s=GLUTEN

– Já foram conduzidos estudos sobre esta suposta “maior intoxicação por arsênico” e outros metais pesados por parte de quem consuma mais arroz e derivados e não foi encontrada quantidade absolutamente perigosa para a saúde, salvo em casos de francos excessos cronicamente cometidos.

– Quando a reportagem fala de “Mitos e verdades sobre o gluten”, comete vários EQUÍVOCOS curiosos… Um deles é afirmar que quem tira o gluten da dieta geralmente reduz carboidratos na dieta MAS em outro trecho afirma que quem faz isto come mais arroz e derivados: contraditório dizer as 2 coisas “juntas” uma vez que a maior parte do arroz é de carboidratos!

– A maioria das pessoas apresenta sensibilidade não-celíaca ao gluten (por vários mecanismos diferentes; explico aqui: Icaro.med.br/?s=GLUTEN) e muitos a Doença Celíaca não-diagnosticada mas insistem em dizer por aí que “glúten não faz mal para a maioria”… Subdiagnósticos indevidos ou Subvalorização dos sintomas/distúrbios?

 

Entendeu? Cuidado com o que lê por aí… Sobretudo quando a “leitura” fica só nos títulos e “conclusões”!

Comments

Leave a Comment