Gluten-Cuidado

GLUTEN FAZ MAL

Este é o “resumo” da minha opinião como MÉDICO, amplamente embasada cientificamente e no acompanhamento de dezenas de milhares de pacientes em consultório:

#GLUTEN PREJUDICA a grande MAIORIA DAS PESSOAS, por DIVERSOS mecanismos diferentes (#ProntoFalei) – comprove no que explico detalhadamente no www.icaro.med.br/GLUTEN

(Assista o vídeo no link acima)

 

Aprenda ainda mais e melhor nestes livros (com centenas de estudos científicos respaldando o conhecimento): “O Perigo do Gluten”, “Barriga de Trigo” e “Glúten – Toxicidade, Reações e Sintomas”

(ESTUDE e forme VOCÊ sua própria opinião bem fundamentada: afinal, sua #SAÚDE em parte dependerá dela)

 

Entretanto, muita gente por aí ganha MUITO dinheiro quando VOCÊ come regularmente alimentos ricos em glúten (mesmo que fique passando mal por isto) e por isso espalham por aí que “Glúten não faz mal”, “É modismo falar mal do glúten”, “É terrorismo nutricional”, “Não há evidências científicas” (essa é a pior), “Jesus comia gluten” (o que é mentira), “Se tirar da dieta vai ficar mais carente”, etc – você acha mesmo que este povo quer perder clientes?

 

Agora, sai mais uma notícia algo sensacionalista, tendenciosa, aparentemente mal elaborada e com generalizações descabidas: Huffpostbrasil.com/2018/07/18/alimentos-sem-gluten-sao-mais-caros-e-bem-menos-saudaveis-do-que-convencionais-diz-revista_a_23484674/

 

Na minha opinião, são estas as muitas falhas do texto:

1 – Só coloca o #glúten como algo que faz mal para quem tenha #DoençaCelíaca mas 20 a 30 vezes mais pessoas passam mal com ele por problemas causados por “sensibilidade não-celiaca”.

2 – Parar de comer #gluten é uma medida absoluta em termos de melhorar a saúde (porque diminui a carga global de #inflamação e #intoxicação do organismo): se a pessoa substitui os alimentos com gluten por alimentos industrializados repletos de “coisas ruins” é uma decisão RUIM individual – ou seja, o ideal é que o gluten seja substituído por alimentos saudáveis: quem opta por não fazer isto está prejudicando-se pelas más escolhas e não por ter tirado o glúten da #alimentação.

3 – Produtos industrializados #semgluten são um pouco mais caros porque ainda há menos procura por eles; é uma lei de comercio: quando aumenta procura, aumenta a produção e diminui o preço. MAS há muitos produtos sem gluten não-industrializados que não são mais caros e podem ser boas opções: quem procura (de verdade), acha.

4 – Sair do gluten e ir pros excessos de carboidratos simples (e/ou carga total excessiva de quaisquer carbos) é uma má decisão individual, erro comum e muito danoso mas que NÃO depõe contra o conceito de alimentação sem-gluten em si: quem busca bom conhecimento não comete este erro que a reportagem parece buscar erradamente colocar como associação obrigatória.

5 – O texto “jornalístico” defende manter o Gluten na dieta até que seja “fechado” o diagnóstico de Doença Celíaca mas parece esquecer que enquanto isto ocorre o paciente está sofrendo dezenas de sintomas, agravando doenças e que muitas vezes sequer terá um diagnóstico adequado (muitos médicos mal conhecem Doença Celíaca… Imagine se sequer sabem das sensibilidades não celíacas ao gluten ou como identifica-las e trata-las!). Algo “Medieval” isto, não? Gente passando mal e que vai manter o sofrimento por um bom tempo só para ter um nome para seu sofrimento? Seria isto mesmo tão necessário?

6 – “Se o gluten não faz mal, não precisa bani-lo”. Sério? E a maioria dos pacientes que só acha que “fazer mal” significa sintomas gastrintestinais e não um MONTE de sintomas à distância, causados ou agravados? E os pacientes e profissionais de saúde que não fizerem a associação do que sentem ao glúten – Se não é nomeada, não existe?

7 – A maior parte da população mundial, sobretudo nas últimas 5 décadas, ESTÁ DOENTE porque come carboidratos (açúcares) demais no dia a dia: ou seja, excesso de carboidratos nos dias de hoje não é comportamento “só de quem alimenta-se sem gluten”; parte da mídia geral e muitos profissionais têm procurado colocar desta forma mas desconheço estatísticas oficiais que comprovem que “quem come menos glúten come mais carboidratos que a população em geral” ou sequer que por isto esteja mais doente. Sobre os males do excesso de carboidratos, acesse: www.icaro.med.br/?s=Carboidratos

8 – Seria “coincidência” esta matéria sair logo após o #GlutenFreeBrasil ?

 

Entendeu?

CUIDADO com em que você acredita… Hoje em dia, para ganhar audiência, estão até “apelando”!

 

BOA Alimentação é coisa séria e é BASE para Saúde de verdade. #FaçaASuaParte: www.icaro.med.br/ALIMENTACAO – Quem come mal sabota qualquer tratamento, qualquer resultado.

#PenseNisso

 

Boa semana!

Ícaro Alves Alcântara

www.icaro.med.br/ComoEuTrabalho
Médico, Professor e Palestrante

www.icaro.med.br/SAUDE
Especialista em Homeopatia
Atuação em Estratégia Ortomolecular em Medicina, Qualidade de Vida, promoção de Hábitos Saudáveis e Estilo de Vida.

www.icaro.med.br/ComoEuTrabalho
Terraço Shopping – torre A – sala 317 – Brasília – DF (61) 96467775 e 32349069 (Também contato para palestras, cursos e eventos)
www.Instagram.com/DrIcaroAlves

www.Facebook.com/DrIcaroAlves

Youtube.com/DrIcaroAlves

11 Hábitos em 11 Semanas (nas principais livrarias, também virtuais)
Ebook para download: Bit.Ly/11Habitos
App gratuito para celulares e tablets: Gerenciador Saúde Dr. Icaro
YouTube.com/DrIcaroAlves (centenas de vídeos para você, em Saúde)
www.icaro.med.br/Palestras
Acesse:
www.icaro.med.br/SAUDE

www.icaro.med.br/DegrausDaSaude

www.icaro.med.br/60Dicas

 

 

 

Comments

Deixe um Comentário

Enviar

We're not around right now. But you can send us an email and we'll get back to you, asap.

Não pode ser lido? Mude o texto. captcha txt

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar