Que coisa feia…
Jornalistas, jornais, sites e blogueiros falando besteiras sobre o #OleoDeCoco sem sequer buscar respaldo/comprovação Bioquímica, Clínica e Científica para o que dizem?

E depois não querem que pensemos que tem gente por aí vendendo-se para a Indústria da Doença e, por isso, escrevendo o que eles mandam, sem nenhum compromisso com o que seja verdadeiro e/ou saudável… Como será que deitam a cabeça no travesseiro à noite e dormem tranqüilos? Aliás, será que vão conseguir “consciência tranquila” por muito tempo, sabendo que estão semeando DESinformação, que pode prejudicar muitos?
Ou seria só ignorância tendenciosa mesmo, defesa da própria zona de conforto?

Vamos aos fatos:

LEIA: http://www.icaro.med.br/?s=oleo+de+coco

– Óleo de Coco NÃO faz milagres sozinho MAS pode ser MUITO BENÉFICO, real aliado da #SAÚDE, para quem tenha/mantenha BONS HÁBITOS DE VIDA (explico detalhadamente aqui www.icaro.med.br/SAUDE) junto aos seu uso;
– Nenhum suplemento usado isoladamente consegue provocar bons resultados; ou mantê-los.
– Olhe o currículo de quem opina: tem muita gente que sequer é da área de saúde emitindo “verdades categóricas” sobre o que demonstra desconhecer;
– Quem realmente sabe trabalhar com o óleo de coco não o indica isoladamente para emagrecimento: como eu disse e expliquei acima (e no link) ele pode ajudar SIM no processo junto a melhor Estilo de Vida e o que detalho (e ensino como fazer) aqui: www.icaro.med.br/SAUDE. Se alguns por aí indicam erradamente, isto significa erro destes e não que a substância em si seja ruim ou inútil: generalizações nunca ajudam e sào geralmente inúteis ou danosas.
– O entendimento de “entidades oficiais” de 50 anos atrás é de que o cigarro fazia tanto bem, em geral, que deveria ser prescrito por médicos para seus pacientes; muitos chegavam a aparecer fumando em comerciais e até indicavam “boas marcas”; sabemos que isto não é verdade e quem tentou dizer isto na época foi rejeitado, ridicularizado, desmerecido MAS não estavam errados! Ou seja, o “parecer” de “entidades oficiais” nunca é infalível, muda com o tempo e sempre deve ser submetido ao crivo do bom senso: seres humanos falham, por mais que por vezes estejam até bem intencionados.
– O óleo de coco tem ação anti-microbiana e antiinflamatoria “in vivo” comprovada, SIM: ocorre que quando alguns não aceitam (ou não querem aceitar) verdades que sejam-lhes inconvenientes, já prendem-se a jargões como de que “não há comprovação científica” quando, na verdade, o que querem dizer é “eu não aceito esta comprovação”; ou seja, a história vira estória quando adultos agem como crianças e negam a realidade para defender “outros interesses”.
– No passado o óleo de coco foi duramente criticado por vários “profissionais de saúde” que, posteriormente, foram identificados como gente agindo como expliquei acima (negando evidências, por não quererem aceita-las) ou gente “na folha de pagamento” de indústrias envolvidas com a fabricação/comercialização (e lucros) de outros óleos, que estão perdendo consumidores… Mas, é claro que isto é só “mera coincidência”. Certo?
– Há evidências da utilidade do óleo de coco para a saúde cerebral: mais uma vez, para simplificar, meramente busque na internet e verá. Mas você também pode estudar Bioquímica e comprovar facilmente como os componentes do óleo de coco são benéficos ao funcionamento e recuperação das células cerebrais (neurônios e demais células de suporte); obviamente, reitero que sozinho o óleo de coco não faz milagres: para que seus benefícios sejam colhidos, o paciente tem que estar fazendo sua parte também, no seu Estilo de Vida e nisto: Icaro.med.br/SAUDE). #VêQuemQuer
– Sabe quando alguns profissionais de saúde, incluindo médicos, emitem colocações categóricas como “não serve pra nada”, “não há comprovação científica”, “não tem propriedades terapêuticas”? Cuidado! Pode ser Conflito de Interesses: http://www.icaro.med.br/?s=Industria+da+Doenca
– Quem fala que “Colesterol HDL é bom e LDL é ruim”, já não merece sua confiança em termos de saúde. Afinal, isto não existe! rrs – Entenda: http://www.icaro.med.br/?s=COLESTEROL+Bom+Ruim
– Dizer que as gorduras saturadas fazem mal é colocar todas no mesmo barco, como se fossem iguais; e demonstrar desconhecimento de Bioquímica básica. Afinal, se um médico é ruim todos merecem desconfiança? Se um jornalista é tendencioso todos são? Claro que não.
– Se o óleo de coco pode mesmo ajudar a tratar várias doenças (junto aos cuidados que já exaustivamente linkei acima) com sucesso, a quem interessaria denegri-lo? A quem não quer que você melhore a saúde via produtos naturais, acessíveis e amplamente benéficos. Afinal, assim você deixa de consumir outros produtos que geram lucro e/ou doenças (que geram lucros ao tornar você hábil consumidor, por vezes crônico, de remédios – http://www.icaro.med.br/remedios-nao-precisar)
– Comparar genericamente óleo de coco ao azeite de oliva é generalizar comparativamente pneus com vestidos de noiva… O que comparar? Para quais fins (por exemplo, ninguém deveria comer muitas frituras mas o azeite de oliva já após 40 graus de aquecimento gera produtos ruins mas o óleo de coco “aguenta” acima de 200 graus sem transformações negativas significativas)? Em que circunstâncias de uso? Utilização por quais pacientes (caso clínico, hábitos, exames, …)?

– Óleo de coco piora isso, agrava aquilo… Por quais mecanismos? Por vezes não explicam porque… Não sabem! Ou porque a verdade é justamente o contrário…

Enfim. COMPARTILHEM este e vamos levar mais luz a quem insiste em acreditar em “tudo” que vê em “veículos de informação” famosos; afinal, se “todo mundo tem um preço”, quanto será que ganham para publicar “certas matérias”, mesmo que danosas para todo o resto do mundo? Compromisso com a verdade, mesmo, absoluto, só lembro de Jesus…
http://www.icaro.med.br/?s=oleo+de+coco

Comments

Leave a Comment