Remédios e Doenças – Onde fica sua SAUDE?

Se você não entende a diferença entre Saúde e Doença, nunca vai ter a aquela ou curar esta; Saúde é bem-estar físico, mental, espiritual e social e #Doença é um conjunto de sintomas: entre a Saúde e a Doença existem muitas pessoas por aí que se dizem sem #sintomas mas que simplesmente não se sentem bem.

Em que categoria está você?
1 – Quem julga-se realmente #SAUDAVEL, curiosamente sempre acha que pode melhorar a#Saude que tem mas costuma esforçar-se para mante-la: simplesmente FAZ A SUA PARTE focando sobretudo na #PREVENCAO, evitar que a doença sequer aconteça.
2 – Quem “acha” que tem Saúde mas apresenta #sintomas, frequentemente é quem não dá muita importância para o assunto e acaba um dia “dobrado pela doença”, que até parece ter aparecido “de uma hora para a outra” mas, na verdade, já vinha desenvolvendo-se ao longo de anos, sobretudo pelo descuido para consigo mesmo(a); afinal, negar uma coisa não a torna mentira ou algo inexistente: apenas adia as providências necessárias quanto a ela, o “encara-la de frente para resolver”.
3 – Quem admite que tem uma doença, já tomou o primeiro passo para resolve-la: assumir sua existência – afinal, ninguém age sobre algo que nem reconheça que existe. O problema é que reconhecer que algo ruim é real mas nada fazer para elimina-lo é inútil – afinal, somente atitudes trazem resultados. E frente a uma doença, o que a maioria faz? Procura o remédio mais “adequado”! Mas… Se ele existe, que resultado você espera dele? A maioria diria “Cura”, outros diriam “alívio dos sintomas”.
*Curar significa eliminar as causas dos distúrbios que provocam os sintomas e a maioria dos medicamentos simplesmente não faz isto. Duvida? Explico: quando você toma antibiótico para uma infecção, mata a bactéria envolvida mas não resolve todo o “ambiente” que possibilitou seu crescimento e logo vem outra. Quando você toma um anti-inflamatório ele reduz a #inflamaçãomas não age nas causas dela e, se o organismo não resolve-las, a inflamação volta com tudo após a parada do remédio, mesmo que por vezes em lugares diferentes. Quando vc faz quimio ou radioterapia para tratar um #cancer, pode até matar o tumor em várias partes do corpo mas não resolve o conjunto de fatores que te levou a desenvolve-lo e muitas vezes acaba por desenvolver outro.
*Se remédios não curam, então, como há “melhora” muitas vezes após seu uso? Simples: enquanto eles “aliviavam os sintomas”, seu corpo estava trabalhando nas causas, com os recursos que tinha disponíveis – por isso em tantas ocasiões há falhas: quando o foco é só no remédio, muitas vezes o organismo não tem condições (recursos) de erradicar as causas que, se continuam agravando-se, assim ocorre com a doença.
*Entendeu a questão? #Medicamentos são substâncias estranhas ao organismo e como tal somente podem ajudar a tratar (e curar quando possível) se administrados JUNTO ao fornecimento dos recursos necessários ao funcionamento dos mecanismos de reparo DO SEU ORGANISMO; fora disto, o máximo que pode ser atingido é “alívio de sintomas” e torcer para que seu corpo “faça o trabalho” de tratar-se.

((Remédios podem ser fundamentais em situações de urgência/emergência, onde o conjunto de sintomas precisa de ações rápidas e resolutivas pelo risco que trazem de sequelas ou morte))
Você agora deve, então, estar perguntando-se COMO prevenir e, se já doente, de que forma fornecer os recursos para o melhor funcionamento possível dos seus sistemas de reparo (incluindo imunológico). Simples, busque#conhecimento de qualidade e coloque em prática o necessário. Está tudo aqui:
www.icaro.med.br/SintomasEDoencas
www.icaro.med.br/DegrausDaSaude
www.icaro.med.br/12Passos
www.icaro.med.br/ComeceAqui
www.icaro.med.br/PenseSaude
www.icaro.med.br/SAUDE

Se, no final das contas, você não quiser aprender em todo este material, já sei sua categoria… Só tome cuidado porque, na vida, “A Gente Colhe o que Planta” e quem semeia sintomas nunca vai colher Saude, mesmo com todos os remédios do mundo.

 

PARTE 2:

Toda vez que você tem o “retorno” de #sintomas ou #doenças quando para de usar os #remédios que aparentemente estavam tratando-os, entenda que eles não foram curados: apenas estavam, no máximo, “controlados” pelos #medicamentos em uso.
 
Complementando o post anterior sobre o assunto ACIMA (em https://www.instagram.com/p/BcbELuankBs ), entenda:
 
1 – Sempre que você toma um #remédio, ele foi prescrito para um fim muito específico mas, na grande maioria das vezes, para atenuar ou aliviar sintomas ENQUANTO SEU ORGANISMO trata as causas, buscando resolve-las; se seu organismo não consegue fazer isto, você vai ficar “dependente” do medicamento em questão para não sentir as consequências dos sintomas ou doenças sobre os quais ele estava agindo; ENTRETANTO, ao mesmo tempo, muitas vezes as CAUSAS estarão evoluindo, agravando-se dentro de vc, o que comumente vai leva-lo à necessidade de doses mais fortes ou até de trocar o remédio porque ele simplesmente não mais consegue controlar a causa (quando fica mais grave) ou até associar mais medicamentos para obter algum alívio.
 
2 – A saída, então, é não tomar remédios? Nem sempre: eles podem ser necessários em situações de urgência/emergência (temporariamente) ou para reduzir a força dos sintomas/doenças para que o organismo possa ser capaz de combate-los: só nunca vão resolver, CURAR, sozinhos! Toda vez que vc “tiver” que tomar um remédio CRONICAMENTE, pergunte-se: o que estou fazendo de realmente EFETIVO para combater as causas deste distúrbio que o medicamento está tratando? Quem investiga direito as causas e resolve-as (quando possível), muitas vezes surpreende-se quando, com o tempo, passa a precisar de doses menores dos remédios ou até poder retira-los, sem prejuízo à saúde (e comumente com benefícios).
 
3 – Alguns podem questionar: “mas qual é o malefício de tomar remédios cronicamente”? Respondo: são substâncias estranhas ao organismo e que serão metabolizadas (sobretudo por fígado e rins), gerando algum grau de sobrecarga orgânica para isto e assim produzindo resíduos, outras substâncias, que nem sempre são desejadas, saudáveis e que muitas vezes podem gerar acúmulos, até tóxicos, perigosos. Outros podem perguntar: “mas não existem remédios para a vida inteira”? Só quando as causas não são resolvidas (quando isto não é possível ou quando quem tem os sintomas/doenças não faz isto ou não faz direito): por exemplo, quem teve a #tireóide removida precisa tomar T4 (e muitas vezes também T3) para toda a vida, porque a glândula que o produzia não mais existe; quem tem #hipertensao mas não toma água direito ou não se exercita vai precisar de medicamento anti-hipertensivo “a vida inteira” porque não está resolvendo todos os fatores que levam à pressão alta; e assim por diante.
 
4 – O que fazer, então, para RESOLVER AS CAUSAS? Estudar, CONHECER o básico necessário para isto e COLOCAR EM PRÁTICA, de verdade, na sua vida, idealmente com acompanhamento médico (e dos demais #profissionaisdesaude que sejam também necessários) competente, discutindo, planejando e aplicando o melhor plano terapêutico possível para seu caso (que não dependa só de remédios!). Onde estudar? Este material COM CERTEZA irá te ajudar (invista tempo para acessar):
 
 
Se você não refletir sobre isto e esforçar-se para mudar o necessário, prepare-se para uma vida com cada vez mais remédios (e até tratamentos mais “agressivos”) e menos #saúde
 

#SimplesAssim
#PenseNisso
#FicaADica

Boa semana!

Ícaro Alves Alcântara
Médico – Brasília/DF
🖥 http://ICARO.med.br/
Marcação de consultas:
 (61) 32349069 (fixo)
📱 (61) 99646-7775 (celular e WhatsApp)

Comments

Deixe um Comentário

Enviar

We're not around right now. But you can send us an email and we'll get back to you, asap.

Não pode ser lido? Mude o texto. captcha txt

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar