Você está Inflamado(a) e isto está causando ou agravando seus sintomas!

Dica do Ícaro Hábitos Saudáveis Produtividade Saúde

A maior “Doença” que temos atualmente, com vários fatores causais/agravantes possiveis e várias manifestações sintomáticas diferentes é INFLAMAÇÃO:

Toda vez que alguma parte do nosso corpo é “atacada”, ameaçada ou lesionada, ela torna-se inflamada para proteger-se e reparar-se.

E fora as inflamações localizadas em regiões específicas que foram afetadas localmente apenas (por exemplo, um joelho inflama-se localmente quando sofre um trauma, como uma pancada), toda inflamação mais importante torna-se sistêmica, já que o local inflamado produz mediadores inflamatórios (substâncias químicas que sinalizam o processo de inflamação, localmente e à distância, quando viajam pelo sangue) que podem até inflamar outros tecidos; nestes casos, quem exatamente vai ficar inflamado depende de tendências genéticas de fragilidade de órgãos e tecidos (lembram-se que “a corrente sempre arrebenta nos elos mais fracos”?) ou serão aqueles que já estão mais fracos, lesionados, intoxicados ou “mal cuidados”; há também a “inflamação crônica subclínica” (*), onde o organismo está inflamado como um todo, sistemicamente, mas em um grau mais baixo, ainda que lesivo e constante, algo pouco diagnosticado pelas interpretações convencionais de exames básicos: o que mais cronicamente nos inflama são erros alimentares frequentes, hábitos de vida ruins (**), ‪#‎intoxicações‬ constantes (e falta de destoxificação periódica adequada), uso de muitos remédios, infecções mal tratadas (Não curadas), ‪#‎stress‬ e fatores similares de agressão, constantemente agindo sobre nós. Nesta inflamação os órgãos que vão manifestá-la são aqueles mais fracos, o que varia muito de uma pessoa para a outra

Observe, portanto que 3 pessoas com uma mesma ‪#‎doença‬ podem tê-la por causa da ‪#‎inflamação‬ causada e sustentada por 3 fatores diferentes:
por exemplo, 3 pacientes com ‪#‎sinusite‬ (***) podem apresenta-la por “motivos” diferentes: um toma pouca água, o outro esteve resfriado por longo período e outra pessoa dormiu no mesmo quarto que alguém com sintomas (tosse, espirro e febre).

E 3 pessoas expostas ao mesmo fator nocivo adoecerem de 3 formas diferentes:
por exemplo, 3 pacientes que “malharam demais” (‪#‎exercício fisico‬ excessivo) podem, horas a dias depois, apresentarem distúrbios diferentes: um com dores pelo corpo, outro com queda da imunidade e outra pessoa com grande cansaço/sonolência.

Ou seja, parece-me absurda esta cultura geral de, clinicamente, tratar as pessoas sempre por rótulos (****), o que faz com que toda “ITE” tenha um protocolo fixo de tratamento, como se toda “‪#‎fibromialgia‬” fosse igual e merecesse o mesmo kit, crônico, de medicamentos, independentemente do paciente e suas formas específicas de adoecer – e para toda a vida, já que o tratamento não visa cura ou abordar causas mas sim tratar sintomas já que é assumido, erradamente, que seja doença crônica, incômoda mas “incurável”. E o mesmo para enxaquecas, ites, doenças crônicas, etc

Seja tratado direito e, a partir de hoje, leve em consideração sua INFLAMAÇÃO, para ter mais sucesso nos tratamentos e cuidados com a sua saúde! E sugiro que escolha profissionais de saúde que saiba de tudo isto e valorizem estes “detalhes” tão importantes!

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *