Você precisa de IODO?

Dica do Ícaro Hábitos Saudáveis Produtividade Saúde Suplementos

A maioria de nós tem carência dele e por isso sintomas e doenças, causados ou agravados por isso. Simples assim.
Deixe-me te dizer mitos e verdades sobre IODO:

1 – Na faculdade de Medicina (fui aluno da segunda melhor do país, UnB, à época) mal foi falado; em uma a duas aulas apenas e como se fosse importante só para a produção de T4 (mal falam do T3, fundamental, nas faculdades… Veja mais sobre ele aqui: https://www.icaro.med.br/?s=t3);

2 – MAS “a pele possui 20% de todo o iodo no corpo, 32% encontra-se nos músculos e 35% no tecido adiposo. O iodo está em diversas partes do corpo, entretanto existe uma tendência do iodo se acumular nos tecidos glandulares, no homem (tireoide e a próstata) e na mulher (tireoide, mamas e ovários)” e, fora isso, é essencial para imunidade e sudorese (fundamental para controle da temperatura do corpo e desintoxicação) – fonte: http://www.telomero.com.br/secao/nutrigenetica/850/iodo

3 – Ou seja, níveis adequados de iodo são FUNDAMENTAIS à saúde por VÁRIAS formas diferentes mas isso só é ensinado em bons cursos de pós-graduação e muitos profissionais de saúde ainda não têm acesso a este conhecimento (ou não aceitam-no)

4 – Andaram falando por aí que a ingestão de iodo pela população brasileira é excessiva MAS ingerir um nutriente não garante que seja absorvido pelos intestinos, metabolizado e incorporado onde e como deveria; E falaram tb que as crianças brasileiras (estudo de 2001) excretaram iodo demais na urina mas só medir a excreção também não garante suficiência ou excesso do iodo onde ele é necessário. Em consultório tenho visto uma maioria de pacientes com deficiência de iodo (e sintomas compatíveis), algo facilmente detectável por medidas adequadas na pele (exame que faço em consultório) e na saliva MAS quem dosa no sangue e urina também identifica isto (não em termos de mera aceitabilidade dos níveis mas de estarem ideais – afinal, quem quer ter SAÚDE só “aceitável”? Todos querem ótima e por isso os exames têm que seguir o mesmo padrão-ótimo, certo? Leia mais sobre isso no https://www.icaro.med.br/?s=exames+complementares)

5 – Há tecidos no organismo que usam iodo e outros que usam iodeto; ou seja, a suplementação ideal, quando necessária, deve ser de ambos, algo pouco “respeitado” por aí. Some-se a isso que, para o iodo ser assimilado adequadamente pelo organismo, o pH corpóreo “geral” e sobretudo do sangue precisam estar dentro de limites aceitáveis para cada tecido – extremos de pH fazem com que, mesmo que a ingestão esteja ok, o iodo não chegue onde deveria ou não “funcione” adequadamente. E é claro que o organismo tem vários sistemas para garantir equilíbrio de pH (sistemas-tampão, por exemplo) mas estes sistemas podem não funcionar direito ante grande carga tóxica regular, desnutrição e hábitos de vida ruins (www.icaro.med.br/movimento11): não basta “estar vivo”, sobrevivendo, para que tudo esteja funcionando perfeitamente!

6 – Iodo é uma das principais carências do ser humano, em termos nutricionais – Confira as demais e busque bons profissionais de saúde para ajudar a corrigi-las – sua saúde depende muito mais disto e de otimização de hábitos de vida que de remédios: https://www.icaro.med.br/nove-nutrientes-essenciais-para-vida/

7 – Conheça mais sobre um bom exame para ajudar a avaliar a carência de iodo, que é o Sensograma: https://www.icaro.med.br/sensograma

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *