Você precisa MESMO, sempre, de remédios?

Veja se você apresenta algum destes (ou conhece alguém “sofrendo” assim):

1 – Adulto com pressão alta, resfriados freqüentes, muitas “amigdalites” e rouquidão;

2 – Paciente que não consegue perder peso, insatisfeita com sua pele/estética, já passou por vários médicos, sem sucesso;

3 – Mulher com “intestino preguiçoso”, que só funciona à base de laxantes;

4 – Atleta que desenvolve nódulos mamários, até com suspeita de câncer local;

5 – Enfermeiro que até tenta se cuidar mas apresenta depressão/ansiedade e baixa imunidade;

6 – Executivo, sempre muito “ocupado”, com grande cansaço e irritabilidade;

7 – “Concurseiro” que sente dor de cabeça, tonturas, dificuldade de concentração e baixa produtividade geral dos estudos.

São casos bem comuns, não é mesmo? E diga-me se o que acontece com eles na maioria das vezes não é algo como:

–       Tentam primeiro ignorar os sintomas, esperando que melhorem sozinhos;

–       Se não  sumirem, aprendem a conviver com eles, ainda esperando que melhorem sozinhos;

–       Se passam a ser duradouros ou incomodam, é freqüente a auto-medicação ou adoção de medidas caseiras de origens/recomendações diversas;

–       Quando o médico é procurado, na maioria das vezes o paciente já sai com um (ou mais) diagnóstico e prescrições de medicamentos, após rápida consulta (freqüentemente com anamnese superficial demais), muitas vezes até sem exames complementares prévios.

Entretanto, reflita comigo sobre os casos acima:

–       Caso 1 : Todos os sinais/sintomas relatados podem ser causados (ou bastante piorados) por baixa ingestão de água por dia;

–       Caso 2: Todos os sinais/sintomas relatados podem ser causados (ou bastante piorados) por alimentação inadequada;

–       Caso 3: Todos os sinais/sintomas relatados podem ser causados (ou bastante piorados) por baixa ingestão de fibras;

–       Caso 4: Todos os sinais/sintomas relatados podem ser causados (ou bastante piorados) por exercício físico praticado inadequadamente (por exemplo em excesso, o chamado “overtraining”);

–       Caso 5: Todos os sinais/sintomas relatados podem ser causados (ou bastante piorados) por sono insuficiente/inadequado (como é comum em quem trabalha em esquemas de plantões);

–       Caso 6 : Todos os sinais/sintomas relatados podem ser causados (ou bastante piorados) por excesso de stress, crônico;

–       Caso 7: Todos os sinais/sintomas relatados podem ser causados (ou bastante piorados) por respiração inadequada, levando a baixa oxigenação cerebral;

Em outras palavras, para TODOS estes pacientes a prevenção e tratamento dos seus distúrbios necessariamente depende da melhoria dos seus Hábitos de Vida, ou seja, da forma como cuidam da sua própria saúde (https://www.icaro.med.br/a-base-de-tudo/).

Portanto, voltando à pergunta inicial, para que VOCÊ mesmo reflita sobre ela: você precisa MESMO, sempre, de remédios?

Um abraço

Ícaro

Comments

Deixe um Comentário

Enviar

We're not around right now. But you can send us an email and we'll get back to you, asap.

Não pode ser lido? Mude o texto. captcha txt
0

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar

pt Portuguese
X
%d blogueiros gostam disto: