Zinco: muito mais importante do que você pensa!

Dica do Ícaro Saúde

A maioria das pessoas teria plenas condições de ter níveis adequados de zinco só de uma alimentação razoável MAS a mutação genética que reduz sua absorção não é incomum E o stress oxidativo excessivo (algo comum hoje em dia…) depleta grandemente seus níveis. Ademais, poucos ainda são os que se alimentam bem regularmente, certo?

Algumas considerações sobre o #ZINCO:

– Deficiência de zinco é o desequilíbrio bioquímico mais relacionado com desordens da #MENTE: distúrbios mentais costumam ser causados ou piorados pelo stress oxidativo e a carência de zinco afeta os receptores NMDA.

– Deficiência de zinco também costuma causar ou agravar problemas de crescimento, imunidade, produção/atuação de #hormônios, temperamento, doenças Neurodegenerativas, aprendizado, expressão genética, comportamento violento, autismo, atenção, atuação enzimática e divisão celular.

– A integridade da barreira hematoencefalica, que protege o cérebro, depende de zinco. A conversão da vitamina B6 em sua forma ativa também depende dele, o que afeta a síntese de vários neurotransmissores, incluindo GABA

– Proteínas combinadas com zinco combatem o stress oxidativo cerebral, que poderia em excesso lesar a bainha de mielina que forra e protege os neurônios e ainda causar desequilíbrios de neurotransmissores. Proteínas assim também ajudam a drenar toxinas e metais tóxicos para fora do corpo.

* baseado no excelente livro de William J. Walsh – Nutrient Power

** Intoxicação por zinco é algo bastante raro

*** Dosar zinco é mais eficiente se você combinar a dosagem intra-eritrocitaria com a dosagem capilar, junto a um painel geral dos demais minerais que competem naturalmente com ele.

**** Suplementação de Ferro pode reduzir os níveis de zinco (o ferro reposto empurra o zinco pra fora do corpo). Uso de anticoncepcionais eleva o cobre no sangue e ele também tende a levar a carencia de zinco. Na mesma linha, carência de zinco costuma elevar o cobre, o que afeta a dopamina e a noradrenalina.

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *